Visualizações desde JUL 2010

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Água Estruturada

A água é uma das mais extraordinárias substâncias que se encontram no Planeta, ela tem personalidade própria e contraria tudo o que conhecemos da química e da física clássica. Ela não segue nem os princípios da Tabela Periódica dos Elementos de Dimitri Ivanovitch Mendeleev.

É o caráter anômalo da água que a faz a substância mais importante do nosso organismo. É a estrutura molecular da água a responsável pela existência dos seres vivos e sem água não haveria vida. Um dos pesquisadores mais criativos que já passaram por este mundo, Albert Szent-Gyorgyi, afirmou que a água é a matéria, a matrix e a mãe da vida e que a estrutura molecular da água é a essência da vida.

Este comportamento da água se deve à presença das pontes de hidrogênio, pontes água-água.

As pontes de hidrogênio são ligações atômicas do átomo de hidrogênio de uma molécula de água com o átomo de oxigênio de outra molécula de água formando “clusters” ou aglomerados de várias moléculas de água ou (H2O)n, onde n é o número de moléculas de água ligadas pelas pontes de hidrogênio.As pontes de hidrogênio com força randômica para mais ou para menos são necessárias no intracelular para:

1- estabilizar a conformação das hélices do DNA e do RNA o que mantém a estrutura da molécula e a sua especial característica de enrolar e desenrolar as hélices,
2- manter a estrutura tridimensional das enzimas e das proteínas,
3- estabilizar a estrutura terciária das enzimas e das proteínas,
4- manter a hidratação das proteínas, ácidos nucléicos e macromoléculas,
5- estabilizar, manter e proteger a membrana citoplasmática e mitocondrial,
6- interferir no potencial de membrana citoplasmático (Em) e no potencial de membrana mitocondrial (Delta-psi mt),
7- interferir na homeostasia dos poros da membrana citoplasmática e mitocondrial,
8- interferir na velocidade das reações químicas intracelulares
9- participar das reações de hidrólise,
10- veicular informação, etc...

Do ponto de vista energético, a estruturação da água depende não só do potencial iônico dos minerais como também da diversidade e proporção com que se apresentam – fatores igualmente determinantes à complexidade estrutural, quantidade de oxigênio vinculado, energia livre disponível e habilidade de receber, armazenar e veicular informações.

Quanto mais complexa a estrutura da água, não só maior o tempo ela poderá reter sua formatação, como também:

maior é o seu potencial de condutibilidade elétrica - acelerando o sistema de intercomunicação celular;

menor a sua tensão superficial - tornando as águas mais “moles” e doces, e aumentando a habilidade dos organismos vivos de eliminar toxinas;

maior o seu grau de biodisponibilidade - não somente da água, mas também de todos os minerais, vitaminas ou qualquer outro elemento a ela associado – facilita a absorção dos nutracêuticos; acelera a chegada de cada um a seu destino; agiliza a passagem pela membrana celular, etc.

Existem evidências de que quando a água intracelular muda o seu comportamento físico-químico e passa de água de baixa densidade, osmoticamente inativa e viscosa (água estruturada) para água de alta densidade, osmoticamente ativa e fluída (água desestruturada) a célula passa do estado quiescente para o estado de proliferação.

Quando aumenta a quantidade de água desestruturada, no intracelular, as células sofrem profundas modificações metabólicas e bioenergéticas com diminuição progressiva do grau de ordem-informação do sistema termodinâmico aberto que é a célula que culmina no aumento da entropia. No início temos apenas disfunção, porém, na evolução do processo o grau de ordem-informação chega a um ponto crucial e a célula atinge um nível quase não tolerável de desestruturação um “estado de quase morte”

Ao chegar ao “estado de quase morte” as células descartam o pesado mecanismo da fosforilação oxidativa e passam a utilizar a via mais simples de Embden-Meyerhof que supre o núcleo de ATP. Neste momento desencadeiam-se mecanismos milenares de sobrevivência e as células começam a se dividir e entram em estado de mitose contínua, único modo de continuarem vivendo.

A estratégia de diminuir a quantidade de água desestruturada e aumentar a água estruturada das células neoplásicas, interferindo nos osmolitos, atinge o alvo, atinge o ponto fundamental e inicial do processo carcinogênico e inibe a proliferação celular, promove a apoptose, diminui a formação de novos vasos e aumenta a diferenciação celular.

Na última consulta o médico do Vitor receitou “água estruturada “ com a seguinte composição: magnésio 2,71, Cálcio 1,55, Sódio 0,32, Potássio 2,0, Silício 1,0, Bicarbonato 2,23, Sulfato 1,42, Cloreto 0,87, Fosfato 0,625, Hipossulfito 0,32, Carbonato 0,31, ergot sugar 50 g, água mineral sem flúor qsp 1000 ml
*A recomendação médica para o caso do Vitor é de 1/2 copo 2 vezes ao dia .

Link sobre o assunto:
http://www.medicinacomplementar.com.br/temajul08.asp

Um comentário:

  1. Olá! Como vc manipulou a água estruturada? obrigada! Denise

    ResponderExcluir