domingo, 16 de junho de 2013

Exame Doppler Transcraniano, Enxaqueca

Como já mencionei em diversas postagens, meu filho Vitor foi diagnosticado com alguns “problemas” que tem sido um grande desafio para nós nos últimos anos.

O primeiro deles foi “anormalidades paroxísticas”, que remetiam a uma “epilepsia rolântica”, diagnosticada por meio de um eletro-encefalograma quando tinha 5 anos de idade. Foi por causa das alterações apresentadas neste exame que o médico fez o encaminhamento para um neuropediatra. Com a graça de Deus, no ano passado meu filho repetiu este exame e não apresentou alterações. Ele está curado dessas “anormalidades paroxísticas"!

Um segundo problema e mais grave de todos, foi o tumor (glioma infiltrativo) no tronco cerebral diagnosticado a quase 5 anos e 8 meses atrás ...  Fazemos acompanhamento no GRAACC e com a graça de Deus também está estável a mais de 5 anos!

Um terceiro problema é um cisto de aracnóide, benigno que ele tem no cérebro. Segundo os médicos, é um “achado” de exame e também está estável.

Um quarto problema é o “Mutismo Seletivo”, que é um transtorno psicológico e foi o grande motivo de buscarmos ajuda médica e depois disso, todas as outras coisas foram descobertas.  Há cerca de 4 anos faz tratamento no IPQ do Hospital das Clínicas de São Paulo e com a graça de Deus e aos ótimos profissionais que o acompanham, está melhorando a cada dia. O caminho ainda é longo, mas tenho fé em Deus que vamos vencer.

Pra encerrar, um quinto problema e também muito grave é uma doença genética denominada Neurofibromatose Tipo 1, que é um defeito no gene NF1, que também é supressor tumoral e devido a isso, os acometidos podem desenvolver sérias complicações, entre elas, maior vulnerabilidade a ter tumores no decorrer da vida. Há alguns anos fazemos acompanhamento na Genética do Hospital São Paulo, UNIFESP, e com a graça de Deus não houve novas manifestações.

Por causa da neurofibromatose, meu filho foi convocado no ano passado a realizar um exame denominado “Doppler Transcraniano”, cujo objetivo era diagnosticar anormalidades nas artérias cerebrais, que são mais comuns em portadores desta doença.  O resultado saiu e graças a Deus não apareceu estenose ou malformação arteriovenosa em ambiente intracraniano e nem atividade embólica encefálica, o que é um resultado muito bom.

A única alteração foi relacionada à Hipermedinamia circulatória encefálica e segundo o médico, este achado pode estar associado às enxaquecas e seus equivalentes.

Depois do resultado desse exame entendi porque meu filho sofreu tanto com enxaqueca! Essas alterações são as grandes responsáveis! Mas quero reiterar que ele S-O-F-R-I-A...  Lembro como eram terríveis essas crises, sempre na parte frontal e os médicos diziam que não tinham qualquer relação com o tumor. Meu filho mais velho Bruno também tinha crises de enxaqueca e graças a Deus hoje não tem mais...


Percebi com o tempo que o desencadeamento dessas crises tem total relação com situações de estresse, falta de sono adequado e também à alimentação. Recomendo um livro muito bom que uma médica do Rio de Janeiro me indicou, cujo autor é o médico Dr. Alexandre Feldman, que tem mais de 20 anos de experiência no tratamento da enxaqueca e o título é bastante intrigante: “Enxaqueca, só tem quem quer”
Aconselho a leitura desse livro a todos que sofrem desse mal... Ele mostra a íntima relação entre os alimentos de alto índice glicêmico e as crises de enxaqueca... Outros fatores também contam. Leia o livro para descobrir.  Mas resumindo:  o estilo de vida que evita o câncer, o diabetes, a pressão alta, também evita a enxaqueca e a maioria das outras doenças. Será que não vale a pena adotar um estilo de vida assim? Fica a dica...

Voltando ao caso do Vitor, as crises de enxaqueca, que antes eram semanais, agora se tornaram super esporádicas e coincidência ou não, sempre relacionadas a algum abuso na alimentação. No ano passado, teve uma crise horripilante enquanto estávamos em viagem à Califórnia, após alguns dias comendo alimentos longe do ideal. Neste ano, em fevereiro também teve outra forte crise, após chegar de uma festinha de aniversário e ter abusado do refrigerante e algodão doce...  Gostamos de viajar e temos uma vida social ativa, mas percebo que o Vitor está aprendendo a se controlar... Isso é muito bom!

Os desafios são grandes, mas tenho muita esperança e fé em Deus. A genética do meu filho pode não ser favorável, mas eu acredito muito nas recentes pesquisas científicas que constataram que genética não é destino, pois é altamente influenciável pelo meio em que vivemos, ou seja, nosso estilo de vida.

Resumindo
Genética favorável + estilo de vida favorável: longevidade com excelente qualidade de vida

Genética favorável + estilo de vida desfavorável: não é bom abusar da sorte...

Genética desfavorável + estilo de vida favorável: aumente as chances de não ativação ou menor expressão desses genes defeituosos... 

Genética desfavorável + estilo de vida desfavorável: mude o quanto antes e sinta os benefícios.

2 comentários:

  1. Uma alimentação saudável reduz pela metade os problemas de saúde. Parabéns pela qualidade do seu post. É muito esclarecedor. E parabéns a você pela garra pois a sua luta exige muito de ti. É uma guerreira! Que abençoe você e sua família dando-lhes força para vencer as batalhas.
    Beijos com meu carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gracita, muito obrigada pelas palavras carinhosas...

      um beijo

      Lidionete

      Excluir

Pesquisar este blog

Carregando...