sexta-feira, 20 de junho de 2014

Capadócia: lugar indescritível!

No mês de janeiro é inverno na Turquia, e além do frio, também neva. Uma semana antes de viajarmos nevou na região, mas quando chegamos, o clima já tinha melhorado e encontramos temperatura entre 3 a 7 graus em Istambul e -2 a 4 na região da Capadócia. Foi tranqüilo, pois usamos casaco, luvas, gorro e deu pra aproveitar todos os passeios ao ar livre.

Pegamos o avião em Istambul logo cedo e cerca de 1 hora depois desembarcamos no aeroporto de Kayseri, uma cidade  cerca de 70 km de Goreme, onde nos hospedamos. Essa cidade já se chamou “Cesaréia” durante o reinado de Tibério.

Já nos aguardava o Muco, um guia muito legal, que acertamos desde aqui do Brasil, através do Sercan  (kaymakyemez (kaymakyemez@hotmail.com) .

A Capadócia é um lugar de beleza impressionante, diferente de tudo  que já vimos no mundo. O nome “Capadócia” quer dizer “terra dos belos cavalos” e esta região foi habitada  a centenas de anos por várias civilizações como os hititas e outros povos de origem da Europa e Ásia.

Por volta do ano 300 AC, Alexandre o Grande esteve na região e no início da era cristã, o apóstolo Paulo, e foi roteiro nas suas 2ª e 3ª viagens missionárias. Inclusive muitas das igrejas que ele visitou ficam nas redondezas.

Dizem que na Capadócia as paisagens são "lunares”, e essa característica única é resultado de séculos de fenômenos vulcânicos e da erosão. Dizem também que demorou milhares de anos até ficar do jeito que é hoje, mas como criacionista, acredito de outra forma... Acredito que são resultado de fenômenos vulcânicos decorrentes de uma grande catástrofe hídrica global (o Dilúvio), que aconteceu no planeta a pouco mais de 4000 anos... Inclusive, segundo o relato bíblico a arca parou num monte chamado Ararat, que por coincidência fica a aproximadamente 700 Km da Capadócia e atualmente é completamente congelado e inacessível ao homem.

Na Capadócia, as rochas são macias, o suficiente para para permitir que as pessoas cavassem as suas moradias para nelas habitar. Não só as moradias, como também igrejas, salões, condomínios e cidades subterrâneas, que inclusive há várias na região, atingindo até 9 níveis abaixo do solo e abrigavam até 20.000 pessoas.


É uma região que é habitada desde mais de 3000 anos antes de Cristo, até os dias atuais, pois muitas pessoas continuam morando nas rochas / cavernas, que hoje conta com energia elétrica, água encanada, TV a cabo, telefone, garagem para o carro, etc. É muito surreal e impressionante!

Iniciamos nosso passeio pela Capadócia conhecendo o “Vale da Imaginação”, onde as rochas se parecem com animais e com o que queremos imaginar...

Outro lugar interessante é “Pasabag”, pois as rochas parecem cogumelos, com corpo e chapéu na parte superior.

Visitamos também uma das cidades subterrâneas que tem na região, chamada “Ozkonak”. Foi um passeio incrível, pois pudemos sentir um pouquinho de como era a vida das pessoas que habitavam ali. Um lugar de clima  agradável o tempo todo, pois no inverno é aquecido e no verão, fresco. Tem sistema de ventilação e de iluminação. Em muitas ocasiões, esses lugares foram utilizados para esconder-se dos inimigos... Era possível ficar meses lá dentro antes de serem descobertos. Os cristãos da época da perseguição também usaram essas cavernas como refúgio... Tinha tudo lá dentro, como estábulos, padarias, poços de água, armazém e tudo que eles precisavam para viver um bom tempo sem subir à superfície. Do lado de fora, é impossível imaginar que embaixo dos pés há uma cidade que poderia abrigar até 20.000 pessoas!

No primeiro dia, nosso almoço foi numa vila chamada “Avanos”, num restaurante maravilhoso às margens de um rio  chamado "Vermelho", que é o mais longo rio da Turquia. Simplesmente amamos a comida. Eu pedi um cozido de vegetais, acompanhado de pão turco e me dá água na boca de lembrar o sabor. Os que não são vegetarianos pediram carneiro e também disseram que estava muito bom.

Depois do almoço, visitamos uma olaria e foi um passeio bem divertido. Primeiro, tivemos uma demonstração de como eram feitos os utensílios de cerâmica antigamente. O oleiro colocava o barro num suporte giratório, acionado pelos pés e ia moldando a peça com as mãos. Em poucos minutos, fez uma “jarra de lágrimas”, que segundo a tradição, as esposas ofereciam aos seus maridos quando estes retornavam de longas viagens ou guerras. Ali eram guardadas (simbolicamente) todas as lágrimas choradas durante a ausência do marido... Que presente valioso, não é mesmo?

Depois da demonstração do oleiro, uma pessoa do nosso grupo teve a oportunidade de sentir-se oleiro por alguns minutos, mas parece que não deu muito certo... Nosso amigo Joilton precisa treinar muuito para ocupar este posto...


Todas as cerâmicas produzidas nesta olaria são feitas manualmente e pudemos conhecer um pouquinho desse tão minucioso trabalho.


Depois do desenho feito, vem a pintura, também artesanal.

Na Capadócia, nos hospedamos no Hotel Kayatas, que é uma pousada familiar e alguns quartos são na rocha. 


O que ficamos era na rocha e foi muito legal sentir-se morando numa caverna, mesmo que por pouco tempo...






Chegamos na Capadócia na quita-feira, dia 16/01 e ficamos até o sábado, dia 18/01. Foi pouco tempo, mas foram dias bem intensos e deliciosos.

Outro local imperdível para visitar é o museu a céu aberto de Goreme. São várias capelas e igrejas nas cavernas, escavadas nas rochas. As mais antigas, datam do século VI. A maioria tem pinturas que retratam cenas bíblicas, da vida de Cristo, como a crucifixão, ressurreição, os apóstolos, etc.

Uma coisa intrigante que observei nestes afrescos, foi os olhos das imagens riscados ou desfigurados... Há uma explicação para isto, que é a “Iconoclastia”, um movimento político-religioso contra a veneração de imagens religiosas no império Bizantino dos séculos VIII até o IX.


Esse ambiente já foi um refeitório dos religiosos. Mesa e bancos esculpidos na pedra.


Há muitas opções de lugares incríveis para serem visitados na Capadócia. Do Vale de Goreme, a vista é lindíssima.

No vale do amor, as rochas são muito curiosos, pois têm o formato de pênis.

Visitamos também Ortahisar, que tem a 2ª rocha mais alta da Capadócia. As moradias nas rochas foram habitadas até pouco tempo, tendo sido interditadas recentemente, devido um desmoronamento, que infelizmente matou algumas pessoas. É impressionante, pois parece um grande condomínio... 


Algumas partes estão porosas e mesmo assim o danado do meu filho Davi de 15 anos subiu nessas ruínas e chegou até o ponto mais alto. O pontinho branco lá em cima é ele e meu coração ficou na mão de tanto medo de vê-lo ali... É uma loucura que não deve ser feita, mas Deus o protegeu mesmo assim. Ufa!!

O Vale dos Pombos é outro lugar interessante, pois há centenas de pombais esculpidos pelo homem das rochas, que no passado tiveram muita utilidade, pois usavam a carne, os ovos, etc. A clara do ovo de pomba tinha também finalidade artística, nos quadros e afrescos que eles pintavam. Mas hoje estes pombais estão vazios, pois um rio que passava na região secou e sem água em abundância, os pombos fugiram para outro lugar.


Dias antes nevou na Capadócia. Em alguns locais, a neve ainda não tinha derretido...

Lá na Capadócia, em frente ao Vale dos Pombos tem uma joalheria muito famosa, que vende jóias finas e pedras preciosas. Próximo à entrada, há uma estátua de São Jorge e uma inscrição ao humorista Chico Anysio. Nosso guia disse que essa joalheria foi uma das patrocinadoras da novela "Salve Jorge", e que após essa novela, muito mais brasileiros passaram a viajar para a Capadócia.

Ainda em referência à novela "Salve Jorge", visitamos uma das casas onde foram feitas algumas gravações. Eu não assisti à novela, mas nos disseram que era a casa do "Ziá."

Do lado da casa do Ziá, tem uma outra casa  e no quintal havia uma cadela Labradora com seus filhotinhos... O Vitor ficou encantado e claro que se aproximou deles para fazer carinho e brincar... Com relação a animais domésticos, o que mais vimos tanto em Istambul, quanto na Capadócia foram gatos. Muitos gatos nas ruas, nas praças, nos comércios. Gatos bonitos e bem cuidados. Deu pra notar que os turcos gostam muito dos bichanos!

Grande parte dos moradores da Capadócia ainda moram nas rochas... Há casas de vários modelos e inclusive com andares. Realmente incrível!!




Todos do nosso grupo adoraram conhecer a Capadócia. Foram momentos que jamais serão apagados da nossa memória, pois tudo lá é único e indescritível. As fotos não traduzem a beleza que vimos lá...

Um comentário:

  1. Oi Gente, Sou Burak (28) guia turistico licenciado pelo governo na Cappadocia. Gostaria de atender e fazer os melhores roteiros e atividades para realizar a voces uma viajem otima
    Valeu . Um abraço
    Entre em contato comigo
    burakekici123@gmail.com
    +905549976427

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...