sábado, 12 de junho de 2010

Mutismo Seletivo: Mais um passo rumo à vitória!

O Vitor está vivendo uma fase muito boa! Está bem fisicamente, emocionalmente e também espiritualmente. Está crescendo e amadurecendo a cada dia e é uma criança feliz.


Temos conversado bastante sobre vários assuntos. Passo a passo vou colocando-o a par de tudo, de uma forma natural e sem pré-conceito. Tem feito muitas perguntas, mas não se sente “desafortunado” com relação a outras crianças por ter que fazer exames freqüentes, ir a consultas médicas ou se alimentar de uma forma especial. Encara com muita naturalidade e jamais questionou ou revoltou-se com relação a isso. Ontem li uma história bíblica com ele e em seguida começamos a falar sobre a oração. Ele tem o hábito de orar a Deus, mas ontem pedi que ele falasse com Deus pra que o ajudasse a vencer a vergonha de falar com os amiguinhos da escola. Na hora ele relutou e disse: “Isso, não, isso não. Falar na escola não!” Então disse que não se preocupasse. Apenas falasse sobre isso com Deus. Ele concordou...

Hoje cedo fomos à igreja e pra nossa grande surpresa um amiguinho da escola também foi, acompanhando os avós que são membros. Imagino que tenha sido a primeira vez neste ano que o Vinícius foi à igreja. E justo hoje... Coincidência???

Como já mencionei em diversos post´s, o Vitor possui uma síndrome denominada “Mutismo Seletivo”, que é uma resistência em se expressar de forma verbal com pessoas fora do círculo familiar. Ele apresentou as características dessa síndrome por volta dos 3 anos de idade, e ficamos um bom tempo atrás de psicólogos, psiquiatras, neuros e ninguém diagnosticava. Graças a Deus que não houve o diagnóstico nesta época, pois caso contrário não teríamos descoberto o tumor numa fase em que seria possível a cirurgia, antes mesmo de qualquer sintoma relativo à doença. Foi uma médica neuropediatra, que vendo nossa aflição, disse ao meu marido: “Olha pai, seu filho não tem nada, mas estou vendo que vocês estão aflitos, então vou solicitar uma ressonância magnética pra deixá-los tranquilos”. O pedido da ressonância solicitava investigação na parte frontal do cérebro, mas na hora do exame o radiologista encontrou um tumor em outra região, na fossa posterior, tronco cerebral.

Posteriormente ficamos sabendo que esta relutância em falar com pessoas fora do círculo familiar se chama “Mutismo Seletivo” e não há qualquer relação com tumor cerebral!

Quando o tumor foi diagnosticado, esquecemos um pouco o Mutismo Seletivo, pois a prioridade era outra. Continuava a terapia com psicóloga, mas ainda não falava na escola. Este ano de 2010 é o quinto ano na mesma escola, mas nenhuma palavra até então. É excelente aluno e todos os professores são unânimes ao afirmar isto.

Voltando ao dia de hoje: quando ele viu o amiguinho Vinícius na igreja, perguntei se gostaria de sentar-se com ele e assim foi. Percebi que estavam se comunicando, mas não verbalmente. Na saída, perguntei se queria convidar o amiguinho para almoçar em casa e ele disse que sim. Conversei com os avós do Vinícius e o trouxemos para casa. O Vitor estava radiante com a visita do amigo, mas nada de conversar com ele. Jogaram super trunfo, mas o Vinícius lia as cartas do Vitor. Após o almoço, enquanto chupavam laranja e mexerica, resolvi fazer uma brincadeira com eles. ” Vamos ver quem fala mais nomes de países?” O Vinícius começou e em seguida o Vitor falou o nome de uma país no meu ouvido... Na hora eu disse: “Fala mais alto”. Ele falou um pouco mais alto... Eu disse: “Não estou ouvindo!” Falou um pouco mais alto a ponto do Vinícius escutar... Gostei porque o Vinícius não esboçou reação de surpresa e assim continuou a brincadeira. Havia começado falando bem baixinho e foi aumentando, aumentando... A brincadeira não acabava, pois parecia que os dois sabiam o nome de todos os países do mundo...rsr Depois foi com nome de animais e depois foram brincar de outra coisa e depois de um tempo o Vitor estava falando no timbre normal. Eu estava explodindo de felicidade por dentro, só que não poderia expressar, com risco de interromper a espontaneidade. Falei pro meu marido o que acabara de presenciar e quando ele viu, não conteve as lágrimas. Chorou de emoção, mas claro, sem o Vitor perceber. Foi um momento inesquecível, pois sabemos a importância desse grande passo.

O mais incrível foi que ele mesmo fez este pedido em oração ontem à noite e hoje mesmo Deus respondeu...

Em quase 5 anos na mesma escola, o Vinícius é o primeiro amiguinho de classe que o Vitor passou a se comunicar verbalmente! Apenas o primeiro, tenho fé em Deus!

Vinícius e Vitor há poucos minutos atrás

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Carregando...