quarta-feira, 3 de março de 2010

Mudanças Alimentares

Como sempre menciono neste blog, passamos a adotar estratégias complementares relacionadas à parte nutricional a partir de MAR 2008, após consulta com o médico biomolecular. Anteriormente não dávamos a devida importância para este quesito. Foi “pela dor” que sentimos a necessidade de mudar. Li muito também nos últimos 2 anos e fiquei completamente fascinada por este assunto. Aos poucos, consegui juntar muitos livros e dentre esses já li mais de 50, de autores renomados, como médicos, cientistas e pesquisadores. Tenho convicção e acredito nestas estratégicas, que podem e muito beneficiar qualquer pessoa, inclusive as que enfrentam uma doença. É uma forma de aumentar as chances de restaurar a saúde.

Antes de tudo isto, nossa alimentação era muito desregrada. Comíamos muitos produtos refinados, industrializados, com gorduras trans, com muito açúcar, embutidos, carnes e gorduras saturadas. Mas também comíamos frutas, legumes e verduras, mas longe de ser a quantidade ideal. Dentre os meus 3 filhos, o Vitor era o mais “difícil”, pois não tinha paladar algum para as coisas naturais, por mais que insistíssemos. A alimentação dele consistia de arroz branco e carne, ou arroz e frango, ou arroz e peixe, ou arroz e ovo. Gostava de batata também. Nada de feijão, folhas ou qualquer outro legume. A hora do almoço era um drama e houve época em que “forçávamos” outros alimentos e o resultado era que sempre vomitava. Meu marido e minha mãe lembram muito bem desta época... Parece que seu paladar não aceitava alimentos naturais. Mas todo tipo de porcaria ele gostava... Bolachas, chocolate, refrigerante, danoninho, muita pizza. Vários amigos ainda se lembram de quando íamos a pizzaria... Ele já chegou comer 7 pedaços de pizza. E todos diziam: “Deixa o moleque comer!" Quando íamos pra algum churrasco, ele só comia carne. Não queria saber dos acompanhamentos. Comia até não agüentar mais. Num certo dia, eu, minha irmã, minha cunhada Amanda e as crianças fomos a um churrasco no interior, só que não ficamos muito tempo, pois estávamos de passagem. Era a casa de uma tia que mora na cidade de Jales, interior de São Paulo. Despedíamo-nos dos parentes e íamos caminhando para o carro, quando percebemos que o Vitor estava com as mãos pra trás... Achei estranho e quis ver o que era e ele relutava em mostrar... Quando conseguimos ver, estava com as mãos cheias de pedaços de carne, que havia trazido do churrasco, pra comer depois. Ele ficou envergonhado, e achamos muito engraçada a situação. Ele tinha 5 anos!

Conhecendo meu filho até então, jamais imaginei que um dia conseguiríamos reverter as preferências dele. Em março de 2008 saímos do consultório do Dr. Felipe com a relação dos alimentos que ele poderia ou não comer. Como fazer se não gostava de nada daquilo permitido? Ele era uma criança, sem noção alguma do problema que tinha. Eu é que era responsável em restringir alimentos que aumentariam as chances de seu câncer desenvolver-se. Orei a Deus e segui os conselhos da escritora adventista Ellen White, que recomenda tirar de vista tudo que é prejudicial e deixar disponível somente frutas e alimentos saudáveis. Seu paladar foi aos poucos se modificando e verdadeiros milagres, antes inimagináveis foram acontecendo. Claro que não foi da noite para o dia... Sua compulsão por alimentos maléficos foi diminuindo aos poucos. Antes o que era todo dia, passou a acontecer somente fora de casa, ou quando íamos a alguma festa ou aniversário.

Claro que ainda não gosta de tudo, mas tenho muita fé que irá progredir aos poucos. Jamais o proibi de comer carne. Em casa não faço mais. Eu particularmente me tornei vegetariana, juntamente com meu filho mais velho Bruno. O Davi e o Vitor não são e o meu marido come frango e peixe . Achei muito interessante um episódio que aconteceu na semana passada, no dia da consulta com o médico biomolecular. Saímos de casa antes do almoço e depois da consulta íamos a um outro local. Acabou que o tempo ficou apertado e não deu tempo de pararmos pra almoçar. Havia levado na bolsa 2 maças e o Vitor comeu. Mas já eram 5:30 da tarde e ainda não tínhamos almoçado. Paramos numa lanchonete pra comer um lanche e logo na entrada, estava à vista uns pedaços bem grandes de carne assada. Acho que eram costela, picanha e cupim. O Vitor olhou para a carne e fez um semblante de repulsa... Achei engraçado e perguntei: “O que foi, você não come carne?” Ele respondeu: “Eu não”, aí indaguei: “Por que não?” e ele finalizou: “Por que eu não quero!”. Quem o conheceu de antes não iria acreditar ser a mesma criança. Ele escolheu um lanche de queijo apenas e disse que ainda come frango e peixe, mas “só às vezes”.

Eu particularmente não tenho nada contra a carne e até considero uma boa fonte de nutrientes. Só que depois de tudo que li e pesquisei, não a considero uma fonte segura, tendo em vista as doenças dos animais e a quantidade descomunal de antibióticos a que são submetidos profilaticamente e também aos hormônios de crescimento. De uma forma ou de outra passam para o ser humano, principalmente através da carne.

Por outro lado, também percebi que meu filho está comendo frutas com muito gosto e vontade. Nos intervalos, quando está com fome, são frutas que ele pede. O lanche da escola, na maioria das vezes é uma maça. Gosta muito de água de coco também. Troca um copo de refrigerante por água de coco. No dia 24 de janeiro estávamos na praia e pediu água de coco, só que já era final da tarde e havia acabado nas barracas de praia. Tentamos em várias barracas e não encontramos e ele batendo o pé que queria água de coco. Meu marido parou em frente a uma sorveteria e disse: “Pode ser sorvete no lugar de água de coco?” Fiquei pasma com a reposta dele: “Não, eu quero água de coco!” Depois disso, procuramos mais e encontramos a bendita água de coco que tanto queria. Nos aniversários, levo sempre garrafinhas de água de coco natural, que troca por refrigerante numa boa.

Ultimamente quando vou ao mercado e ele está comigo, adora escolher as frutas. Na última sexta, quis mamão, kiwi e maça. Como em casa ainda tinha um saco de maças, disse que não precisava. Ele insistiu que queria mais e acabei cedendo e ele escolheu as mais vermelhinhas, todo empolgado.

Nosso instinto é pela alimentação natural. Se não intoxicarmos nosso organismo com alimentos antinaturais, preservaremos este instinto. O documentário “A carne é fraca”, produzido pelo Instituto “Nina Rosa”, exemplifica muito bem isto. Se colocarmos uma criança faminta entre uma maça e um coelhinho, o que ela fará? Ela não estraçalhará o animalzinho e sim comerá a maça. Agora coloca um tigrinho com fome do lado de uma maça e de um coelhinho...

“Os antropologistas afirmam, no entanto, que nossos organismos foram feitos basicamente para processar alimentos de origem vegetal. Eles tomam como base para esta conclusão a forma e a disposição de nossos dentes, o movimento da nossa mandíbula e a longa extensão do nosso trato digestivo (Nossos intestinos têm mais de seis metros de comprimento, enquanto os intestinos dos carnívoros é bem menor). O corpo humano é projetado para funcionar, eficientemente, obtendo a maior parte da sua energia e nutrição de fontes vegetais.” Fonte: (Van Duyn MA, Pivonka E. Overviw of the health benefits of fruit and vegetable consumption for the dietetics Professional: selected literature. J Am Diet Assoc 2000; 100 (12): 1511-21.)

E disse Deus ainda: Tenho-vos dado todas as ervas que produzem semente, e se acham sobre a face da terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dá semente. Ser-vos-ão para mantimento.” (Gênesis 1:29)

“...todas as espécies têm sua dieta original, que é única e saudável para todos da mesma espécie. Somente o homem modificou, sem nenhum critério e sem nenhum parâmetro de saúde, sua dieta alimentar, que não fosse apenas pelo parâmetro do prazer...Deixou de lado a qualidade nutricional e a finalidade essencial... É muito comum vermos pessoas que cuidam melhor de seus carros que de si mesmas, preocupadas em lhe dar uma manutenção bem adequada, o melhor óleo, a gasolina mais refinada, as revisões sem falha, para que não seja danificado e tenha um tempo de uso muito maior. Como já vimos, nosso corpo também é uma máquina, entretando orgânica, que merece, da mesma forma, todos os cuidados e preocupações pelos mesmos e até mais relevantes motivos. Nós somos únicos. Somos nós que dirigimos e habitamos esta maravilhosa máquina que é o nosso corpo.” Dr. Marcos Sandoval Medeiros de Freitas, médico, autor do livro “Tudo o que Você precisa saber – Emagrecimento, Alimentação, Envelhecimento, Saúde”, pgs 126 e 127

“Nossos genes, a disposição de nosso organismo, ainda estão, totalmente orientados no sentido da alimentação com vegetais frescos. Isso pode ser verificado imediatamente por qualquer pessoa que volte a abastecer seus órgãos com os alimentos mais indicados para a natureza humana. Você ficará maravilhado!” Dr. Michael Peuser, químico alemão, autor do livro “Os capilares determinam nosso destino”, pg 266

“É extremamente importante conhecer nossas necessidades naturais para encaminhar qualquer aconselhamento sobre saúde e tratamentos. Também é importante conhecer a maneira característica das diversas partes do corpo trabalharem, bem como as leis naturais que organizam o funcionamento dos sistemas, órgãos e células.” Eliza M. S. Biazzi, pesquisadora, autora do livro “Recursos para uma Vida Natural”, pg 15

“As pessoas que tenham condescendido com o apetite para comer livremente carne, molhos altamente condimentados e várias espécies de bolos requintados e conservas, não podem desde logo ter prazer num regime simples e saudável. Seu paladar está tão pervertido que não tem apetite para seguir um regime saudável de frutas, pão simples e verduras. Não devem esperar que logo a princípio tenham prazer em tomar alimento tão diferente daquele com o qual têm condescendido.” Ellen G. White, escrito em 1864 “Conselhos sobre o Regime Alimentar”, pg 341

“E então se descobre que acrescentar um pouco mais de consciência em um domínio provoca quase automaticamente progressos nos outros... Perde-se progressivamente o gosto pelos alimentos desiquilibrados – cujo peso começa a ser sentido dentro do estômago e o impacto sobre o corpo em geral.” Dr. David Servan-Schreiber, médico , autor do livro “Anticâncer” pag 243

“O que é chocante é que essa empresa (Mc Donald´s) centra seus esforços na disseminação desses hábitos alimentares justamente entre as crianças em idade escolar. O excesso do mineral fósforo nesse tipo de alimentação contribui ainda mais para a desmineralização óssea precoce. Crianças dependentes de alimentos fast food apresentam, em regra, rejeição por alimentos saudáveis como hortaliças, legumes e mesmo frutas. Dr. Alberto Peribanez Gonzales, médico, autor do livro “Lugar de Médico é na Cozinha”, pg 61

“...Vale muito a pena usar arroz integral e massa, pães e bolos, tortas com farinha de trigo integral. Assim, o equilíbrio se fará naturalmente. Você terá tendência a comer menos carne, peixe e frango, camarão, etc.” Dr. Sidney Federmann, médico, autor do livro “Prevenção de Doenças Crônicas”, pag 268

“Se a sua dieta habitual é muito diferente da recomendada, dê a si mesmo um tempo para fazer a transição. Os hábitos têm a força que lhes permitimos ter. Estamos propensos a nos agarrar aos maus hábitos, não o contrário. Além disso, é preciso algum tempo para que nossas papilas gustativas recuperem-se do efeito amortecedor de alimentos muito salgados, temperados e sintéticos.” Beata Bishop, jornalista, autora do livro ”Curando o Incurável”, pg313, em querelata sua experiência pessoal.

“...Deve-se chegar ao ponto de se poder saborear, com prazer, uma comida menos apetitosa.” Dr. Jong Suk Yum, médico, autor de vários livros (ABC daSaúde II, pg 132)


A foto acima foi tirada na tarde de hoje. Peguei no flagra! Vitor espertinho separando as maças mais vermelhinhas pra esconder dos irmãos...rsr

2 comentários:

  1. Maria Helena Capinos11 de março de 2010 18:23

    Ola Lidionete!
    Parabens pela qualidade do blog, voce é mesmo muito determinada, corajosa e amorosa.
    Deus te abençoe.Gosto muito de uma autora e quero compartilhar contigo. Chama-se Louise Hay e escreveu varios livros entre os quais "Voce pode curar sua vida" do qual mando alguns trechos que estao no you tube. Espero que gostes.


    http://www.youtube.com/watch?v=opJhCq8ocJQ&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=pHtZOdiTu20&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=5lnRaa8R2fU&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=3lhmroZQuKs&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=ca8MjXu5ebo&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=dVXvu1Y6DlQ&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=mtutfInEH0A&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=ZPAOiXiwA_Y&feature=related


    http://www.youtube.com/watch?v=-nmDdeMsV6o&feature=related


    Maria Helena Capinos

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Helena, muito obrigada!

    Muito interessantes os links que você indicou.
    Importante sabermos sobre a influência dos nossos pensamentos sobre a nossa vida...

    Deus te abençõe!

    grande abraço

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...