quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Cúrcuma: poderoso antiinflamatório

A cúrcuma é uma raiz que parece com o gengibre. Os indianos consomem em média 1,5g a 2 g por dia de cúrcuma, o principal condimento do curry, ao qual ele dá sua cor alaranjada. Nenhum outro ingrediente nutricional é tão poderosamente antiinflamatório quanto o pó amarelo desta raiz. A principal molécula responsável por este efeito é a curcumina. Em laboratório, ela inibe o crescimento de um número muito grande de cânceres: cólon, fígado, estômago, mama, ovário e leucemia, por exemplo. Age também sobre a angiogênese e força as células cancerosas a morrer (apoptose). Entre camundongos, a curcumina previne o surgimento de vários tipos de tumores induzidos por carcinogêneses químicas. Não é, pois, surpreendente, que em idade idêntica os indianos tenham 8X menos cânceres de pulmão do que os ocidentais, 9X menos cânceres de cólon, 5X menos cânceres de mama ou 10X menos cânceres de rim. E isso apesar de uma exposição a múltiplos cancerígenos presentes no meio ambiente, numa escala provavelmente pior do que o Ocidente...

No M.D. Anderson Cancer Center de Houston, o professor Bharat Aggarwal é considerado um brilhante iconoclasta. Um dos pesquisadores de oncologia mais citados no mundo, é um dos chefes do laboratório de terapêutica experimental do câncer. Sua preeminência em bioquímica e farmacologia não o impediu de manter mente aberta a tudo que possa contribuir para a luta contra o câncer... Aggarwal mostrou primeiramente que a curcumina é muito ativa nas células cancerosas em cultura. Depois, em 2005, provou que ela era capaz de agir em tumores de mama implantados em camundongos que não reagiam mais à quimioterapia com Taxol.

Nos camundongos, a adição de doses nutricionais de curcumina reduzia de maneira impressionante a progressão das metástases. Ainda se encontravam microtumores disseminados nos pulmões, mas, na maioria dos casos, eles não podiam mais aumentar e não apresentavam mais perigo real. Para os oncologistas do muito sério M.D. Anderson Cancer Center, esses resultados improváveis obtidos por remédios das vovós não mereciam ser levados em consideração. Até o dia bem recente em que o Dr. John Meldelsohn, presidente do centro e oncologista dos mais influentes nos Estados Unidos, se encontrava na mesma conferência que Aggarwal e ficou para ouvir sua apresentação até o fim. Na mesma hora ele foi lhe falar: “Eu não tinha a mínima idéia de que as provas científicas do que o senhor apresentou pudessem ser tão sólidas”, declarou.

Aqui no Brasil, é possível encontrar esta raiz com certa facilidade. Meu marido tem comprado na feira de orgânicos do parque Fernando Costa, em São Paulo. Tenho acrescentado diariamente nos sucos de vegetais que preparo na centrífuga, e as crianças não reclamaram do sabor... Uso a cúrcuma de forma crua, in natura, mas segundo estudos, na forma de tempero misturada à pimenta é melhor absorvida pelo organismo.

Fonte: Livro Anticâncer, David Servan-Schreiber, 131-133

Outras informações sobre a cúrcuma:
http://jornadacontraocancer.blogspot.com/2009/05/curcuma.html

A raíz da esquerda é gengibre e a da direita é cúrcuma

2 comentários:

  1. q Fantastica matéria, pena q eu a encontrei apenas hj. Mas já vou comprar a cúrcuma. Tinha comprado açafrao, achando q era a msm coisa kkk erro de principiante!
    Mto obrigado por ter escrito a matéria. Tenho certeza q mtos já se beneficiaram com ela.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida, vc poderia informar o contato do Dr Fellipe? obrigada jardimserra@yahoo.com Denise bjs

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...