terça-feira, 14 de setembro de 2010

Wendel: "Eu olho para as coisas invisíveis"


A cerca de 1 ano atrás conheci a tia do Wendel (Sonia Rigoli) e desde então passei a manter contato por e-mail e telefone com seus familiares, mais especificamente sua sogra Dione. Eles moram na região de Hortolândia, próximo a Campinas, estado de São Paulo. A experiência do Wendel é muito linda e já foi publicada num DVD do grupo musical “Tom de Vida”, da qual é pianista e também num outro blog do programa “Caixa de música” e tomei a iniciativa de colocar aqui também, pois é um grande exemplo de fé e confiança em Deus, mesmo em meio a lutas e adversidades.

Atualmente o Wendel tem 32 anos e é casado a pouco mais de 4 anos com a Evelyn e formam um jovem casal muito bonito. É compositor e professor de música no UNASP / IASP (Campus Hortolândia da Universidade Adventista de São Paulo) e também pianista do coral e do grupo musical “Tom de Vida”.

O Wendel já nasceu com problemas de saúde e quando era muito pequeno foi até desenganado pelos médicos. Ele tinha uma doença chamada “estrongeloidismo”, mas Deus o livrou e recuperou-se totalmente.

Depois de mais de 18 anos, surgiu um segundo problema de saúde grave, chamado “miastenias graves”, que é uma doença neuromuscular que causa fraqueza e fadiga dos músculos voluntários, em decorrência de um defeito na transmissão dos impulsos dos nervos para os músculos. É uma doença auto-imune e considerada incurável pela medicina...

Ele relata que quando as crises surgiam, tinha muita dificuldade motora, e também dificuldade pra rir, falar, dificuldade com as mãos, o que o comprometia tocar piano. Eram momentos muito angustiosos, pois atrapalhava também na parte da garganta, dificultando a deglutição e a fala. Sentia fome e não conseguia engolir a comida...

Foi num destes momentos de crise e baseado nas palavras de II Coríntios 4:16 a 18 (Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.) que o Wendel escreveu a belíssima música “Coisas Invisíveis”. Em meio à angustia causada pela crise miastênica, seu pensamento foi: “Deus é o dono do meu corpo, é o dono das minhas células, se Ele quiser que eu componha essa música, Ele vai me dar forças suficientes para compor. Então, eu vou fazer a minha parte de continuar tentando, com a mínima força que Deus me der”. E Deus concedeu esta força e fez com que se tornasse possível escrever a música juntamente com a melodia, e o arranjo inclusive, naquele mesmo dia.

Eis abaixo a letra desta belíssima melodia:

Ainda que a fraqueza sobrevenha
E o meu corpo já cansado desfaleça
Jamais irei desanimar, nem desistir de continuar
Pois o Espírito de Deus se renova em mim
E a cada dia eu me fortaleço mais assim

Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Que não duram muito tempo e logo vão passar
Mas eu olho para as coisas invisíveis
Pois jamais acabarão
São sublimes, eternais

Meu sofrimento aqui é tão pequeno
Minha aflição tão curta e passageira
Se eu pudesse comparar com a glória eterna que virá
Pois as bênçãos lá do céu
Que meu Deus preparou
São bem mais, são muito mais do que eu posso imaginar
Eu não olho para as coisas que hoje posso ver
Que não duram muito tempo e logo vão passar
Mas eu olho para as coisas invisíveis
Pois jamais acabarão
São sublimes, eternais

E foi praticamente curado da “miastenias graves”. Fez a retirada do timo, e não mais teve as terríveis crises. Mas há cerca de 4 anos surgiu um outro problema de saúde, que foi o diagnóstico de um tumor cerebral (Astrocitoma Difuso de grau II) , inicialmente detectado com 8 centímetros. Foi submetido à radioterapia e posteriormente à cirurgia e quimioterapia com temodal. Mas houve a recidiva como Glioblastoma Multiforme e fez então radiocirurgia e segmento com o quimioterápico temodal. Hoje encontra-se debilitado, mas enfrentando bravamente a doença e confiando que Deus jamais o desamparará!

“Por já ter passado por várias experiências, e Deus estar sempre ao meu lado, eu pensei: Deus não vai me abandonar agora, Ele tem um propósito pra mim. Eu vou seguir compondo, arranjando, fazendo as coisas que eu tenho que fazer, e Deus vai me abençoando. Deus é o doador da vida, Ele controla cada célula do nosso corpo, Ele sabe o que fazer pra deixar o nosso corpo são. A gente tem que fazer a nossa parte, também, mas eu sei que Deus está acima de tudo.” (Wendel Matos)

No link abaixo, faz um breve relato de sua experiência e em seguida acompanha ao piano o Grupo “Tom de Vida”, que canta a música “Coisas Invisíveis”, de sua composição.

http://www.youtube.com/watch?v=YoZwlCmkpaE

5 comentários:

  1. Que linda história, Lidionete. Vou ler mais a respeito e ver o vídeol no youtube. Obrigada. Um bom dia, beijos ;)

    ResponderExcluir
  2. Realmente um grande exemplo de fé!
    bj

    ResponderExcluir
  3. É com certa tristeza e pesar que informo que Wendel Matos encerrou, há alguns dias a sua jornada nesta Terra. Apesar da dor da separação, ganhamos o legado de uma vida incrível de uma pessoa que não poupou esforços em fazer de cada dificuldade um testemunho.

    Wendel descansa no Senhor, aguardando a ressurreição num corpo incorruptível, e livre dos males que este mundo tanto nos assola.

    Volte logo, Jesus.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Danilo, pelo comentário. A notícia da sua morte deixou a todos nós muito entristecidos.
    Mas apesar do Wendel estar dormindo no Senhor, ficaram mensagens muito vivas de “Sublime Esperança” em Cristo Jesus, através das letras de suas inspiradoras músicas.
    abs

    ResponderExcluir
  5. quando somos chamados temos muito que deixar para exemplo de uma vida

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...