sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Itália 2016

Conforme relatei na postagem anterior, sou descendente de imigrantes italianos e em razão disso temos direito a reconhecer a cidadania italiana por direito de sangue. Esse processo de reconhecimento da cidadania italiana pode ser feito no Brasil, porém a fila é gigante e tem demorado mais de 10 anos e por causa disso resolvemos realizar o processo diretamente na Itália.
Contratamos uma assessoria para nos auxiliar na locação de um imóvel para registramos a residência e também cuidar de todos os trâmites.
Nosso vôo teve uma conexão em Madri, Espanha e de lá pegamos outro voo com destino a Roma, capital da Itália.

Do aeroporto pegamos um ônibus para a direção leste da Itália, que atravessou toda a região montanhosa das províncias de Lazio, L´Aquila e Téramo. Nosso destino foi a região de Abruzzos, província de Téramo e nos instalamos em uma das pequeninas cidades da referida província. Conhecemos diversas cidades da região e foi uma delícia.
Como já mencionei, estávamos em 7 pessoas da família, sendo 4 requerentes maiores de idade (eu, minha mãe, meu irmão e meu filho Bruno) e 2 acompanhantes (minha irmã que mora no Canadá e que não faria o processo e o meu filho caçula Vitor).
Apesar do frio de janeiro/fevereiro, passamos momentos muito especiais e agradáveis. Já no dia seguinte à nossa chegada iniciou-se o processo, que foi comparecer à Questura (Polícia Federal Italiana) para providenciar nossa declaração de presença, tendo em vista nosso vôo ter feito conexão em outro país da Europa, por isso foi necessário esse trâmite. Depois foi dado entrada (no Comune), o nosso pedido de residência e após a confirmação anagráfica e chegada da Non Renuncia (documento que atesta que nossos antepassados não renunciaram a cidadania italiana), nossos documentos já poderiam ser transcritos.
Aproveitamos esse período de “espera” para conhecer a região que estávamos e aos finais de semana pudemos realizar alguns passeios.

Abaixo, um pouquinho do que vivemos nesses dias maravilhosos em família.

Nosso modesto "lar" na Itália

Muitos passeios de trem...

Vitor e eu na cidade de Pescara, 

Em Pineto, na Feira di San´Agnese

Foi muito legal participar da 11ª Feira de San´Agnese, que aconteceu no dia 24 de janeiro de 2016 na cidade de Pineto. Eu acredito que o nome "San´Agnese" é em razão da principal igreja da cidade, que tem esse nome em homenagem à "Santa Inês", uma mártir cristã executada durante as perseguições de Diocleciano, no ano 304, em Roma. A data de sua morte é lembrada em 21 de janeiro, portanto a feira que leva seu nome ocorre num domingo próximo a essa data. Abaixo, um pequeno vídeo que mostra um pouquinho da animação da feira, que contou com barracas de comerciantes e artesãos da região expondo os mais variados produtos, desde itens alimentícios, artesanato, vestuário, vinhos, queijos, etc A igreja que aparece no vídeo é a Igreja de San´Agnese, em Pineto.

video


Aqui é a cidade medieval de Atri, que existe deste os tempos "Antes de Cristo", antes da formação do Império Romano

Igreja de Casoli, uma cidadezinha rural da região

Com irmãos da igreja adventista de Scafa, que nos recebeu muito bem e preparou uma deliciosa massa pra nós
Cidade medieval de Sulmona, com as montanhas Gran Sasso ao fundo


Vitor passeando em Roma

Coliseu, Roma

Arco de Constantino, Roma

Fontana di Trevi, Roma


Outro passeio bastante interessante que fizemos foi conhecer San Marino, um pequenino país localizado dentro da Itália, na cordilheira dos Apeninos. É o mais antigo estado soberano do mundo, tendo sido fundado em 03 de setembro de 301 pelo diácono Marinus, que fugia das perseguições do Imperador romano Diocleciano.

Com nosso processo de reconhecimento da cidadania italiana encaminhado, teríamos que aguardar o envio da “Non Renuncia” e essa etapa geralmente demora... Como não poderíamos permanecer na Itália por tempo indeterminado até o término do processo, optamos por um procedimento legal chamado “delega”, que é uma autorização pra que outra pessoa retire nossos documentos após o reconhecimento da cidadania.  No dia 09 de fevereiro retornamos ao Brasil e então ficamos aguardando o desenrolar e conclusão do processo.
Fomos informados que nossa NR chegou no dia 15 de março, mas estava acontecendo um problema na região e o Comune não poderia transcrever nossos documentos. Depois ficamos sabendo que a província de Téramo (assim como diversas outras províncias italianas), estava sob investigação devido ocorrência de fraudes relacionadas principalmente à falsificação de documentos. Passamos dias bastante tensos aqui no Brasil e após várias conversas com nosso assessor soubemos que teríamos que retornar à Itália e nos apresentar no Comune para a conclusão do processo. Dessa vez, bastaria que apenas eu e a minha mãe fosse e daria para resolver para todos. Foram dias de muita ansiedade, pois o passaporte da minha mãe tinha vencido e ela teve que tirar outro e a Polícia Federal estava com problemas, mas no caso dela deu tudo certo e no dia 28 de abril embarcamos novamente para a Itália.
O problema que estava ocorrendo nas províncias italianas fugia da alçada do nosso assessor, mas somos muito gratos por todo empenho e dedicação ao nosso caso. Ficamos lá por aproximadamente uma semana e as coisas se resolveram nos últimos instantes antes da nossa partida. Graças a Deus foi possível transcrever os documentos dos meus filhos menores Vitor e Davi, que também tiveram a cidadania italiana reconhecida. Ufa, passamos um susto danado mas deu tudo certo!
Recebendo meu documento de identidade italiano, das mãos da oficial do Comune

Aqui estamos com a Tatiana e o filhinho dela Giovanni, uma família maravilhosa que conhecemos na Itália. Ela é brasileira casada com italiano. Somos muito gratos pelos momentos maravilhosos que passamos juntos, pelos passeios e pelas deliciosas refeições que nos proporcionaram. Vocês estarão para sempre em nossos corações!

Eu pessoalmente, talvez nem usufrua dessa cidadania italiana e a minha mãe, com seus 67 anos, muito menos... Minha mãe fez questão de fazer como uma realização pessoal, como honra à memória dos seus antepassados. Os maiores beneficiados com toda certeza serão os nossos filhos, que poderão usufruir de facilidades como por exemplo o direito de estudar, morar ou trabalhar em qualquer dos 28 países pertencentes à União Europeia, isenção de vistos para EUA, Canadá, Austrália e outros países, direito aos serviços de saúde italiano (um dos melhores serviços de saúde pública do mundo), etc

Para quem deseja fazer o processo, recentemente  ficou mais fácil, pois desde o dia 14 de agosto de 2016 começou a valer no Brasil a "Convenção de Haia", que é um tratado assinado pelo Brasil que tem como objetivo agilizar e simplificar a legalização de documentos entre os 112 países signatários. Com isto, o processo de reconhecimento da cidadania italiana foi simplificado, pois foram eliminadas as etapas de legalização junto ao ERESP e também consulado italiano. Desde então, as etapas são as seguintes:
1. Certidão de nascimento do antepassado italiano, requerida junto ao Comune de nascimento na Itália ( há algumas exceções neste caso, pois se a ascendência italiana é por parte materna, o filho da italiana não pode ter nascido antes de 01/01/1948, pois até esta época mulheres não "transmitiam" a cidadania aos seus descendentes)

2. Certidões brasileiras de nascimento, casamento e óbito (se for o caso), de todos da linha de transmissão, até chegar ao requerente em questão

3. Solicitar a CNN (Certidão de Não Naturalização) junto ao Ministério da Justiça, que é uma comprovação de Não Naturalização do estrangeiro, pois para transmitir o direito à cidadania o italiano não pode ter se naturalizado brasileiro, pelo menos não antes do nascimento dos filhos.

4. Traduzir para o idioma italiano todas certidões brasileiras, procedimento este que deve ser feito por "Tradutor juramentado"

5. Apostillar todos esses documentos num cartório

Após esses 5 passos, o processo já está pronto para dar entrada na Itália, e ser então requerida a cidadania italiana, Claro que todas as certidões tem que estar certinhas, sem divergências de nomes, datas, local de nascimento, etc.

Os conjugues de cidadãos italianos casados a mais de 3 anos tem direito à requerer a naturalização por casamento, que é um processo diferente e leva em média 2 anos. Demos entrada no processo do meu esposo Fernando e nossa expectativa é que no final de 2018 saia sua cidadania também.
Bom, foi um processo “repleto de emoções”, mas valeu muito à pena e recomendo a todos que tem esse direito.

Na próxima postagem vou contar um pouquinho de um passeio que fizemos para Nápoles e também Pompeia, aquela cidade que foi completamente destruída em decorrência da erupção do vulcão Vesuvio no ano 79, cujas ruínas estão preservadas até hoje. Foi incrível!

2 comentários:

  1. Olá Lidionete!
    Que legal essa conquista...que tudo corra o mais breve possível! Tbm sou descendente de italianos, mas meus parentes que estavam recorrendo ao pedido desistiram, devido a muita burocracia...enfim... tem que ter paciência não é? quem sabe um dia...
    Nossa, como o Vitor está grande! Um homenzarrão... lembro-me dele pequeno e vc contando a situação... não li as postagens anteriores, mas como ele está em relação à doença? Eliminou de vez? Tomara que sim...
    Uma semana abençoada e cheia de alegrias...bjs da Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cris, tudo bem? Aqui estamos bem, graças a Deus. O Vitor segue firme e forte e a doença está sob controle. Ele não teve alta do acompanhamento porque a lesão ainda aparece nas imagens e infelizmente é um tipo traiçoeiro, que deve seguir sendo monitorado. Mas aprendemos a conviver com a situação e tudo está nas mãos de Deus, que sabe de todas as coisas. Sou muito grata ao nosso Pai Celestial pela oportunidade de seguirmos a vida o mais normal possível.
      Quanto à conquista da cidadania, foi a realização de um grande sonho e com certeza os meninos poderão usufruir dela futuramente. Se vc tbém é descendente de italianos, corre atrás também... Tendo a documentação certinha é um processo relativamente simples.
      bjo grande pra você e um feliz natal e ano novo repletos de paz, saúde e amor!

      Excluir

Pesquisar este blog