quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Atenas, Grécia, FEV 2016

Nas últimas postagens contei um pouco da nossa experiência de viajar para a Itália e realizar o reconhecimento da nossa cidadania italiana, um direito garantido a todos os descendentes de imigrantes italianos, desde que apresentem os documentos comprobatórios.

Nestas postagens está relatada nossa experiência:
Reconhecendo nossa cidadania italiana:
Itália 2016
Pompeia e Nápoles

Antes de irmos para a Itália analisamos a possibilidade de aproveitar a viagem e visitar algum outro pais. Meu filho Bruno começou a pesquisar e descobriu que a Cia aérea holandesa Ryanair dispõe de voos para toda a Europa e preços bem econômicos, o que nos deixou bastante animados. Os valores algumas vezes chegam a ser quase de graça (há ofertas de trechos a 2 euros, por exemplo), mas algumas regras precisam ser respeitadas, como antecedência da compra, multa inviável em caso de cancelamento e bagagem máxima de até 10 quilos, não podendo a mala exceder o tamanho de 55 X 40 X 20 cm.
Nosso desejo inicial seria viajar para a Polônia e conhecer o famoso campo de concentração de Auschwitz, mas acabou não dando certo e então escolhemos Atenas, Grécia,  que valeu muito a pena.
Foi uma viagem rápida, de 3 dias apenas, mas foi muito especial.
Os jornais constantemente noticiavam a grande crise pela qual a Grécia estava passando e dois dias antes do nosso embarque para Atenas ocorreu um grande protesto, que foi notícia no mundo todo. Confesso que ficamos com medo, mas mesmo assim não cancelamos nossa viagem e seguimos em frente.
De tanto ouvir falar na crise grega e em manifestações e protestos, imaginávamos chegar lá e encontrar um país deprimente e arruinado, mas estávamos redondamente enganados. Desde o aeroporto foram somente surpresas boas, com pessoas gentis, meios de transportes modernos, cidade limpa e organizada. Andamos de transportes público para várias localidades e em nenhum momento nos sentimos inseguros. Notamos que havia pedintes nas ruas, mas até os mendigos eram limpos, educados e não estavam drogados, completamente diferente do que vemos nos centros de grandes cidades brasileiras, como São Paulo por exemplo.

Em Atenas ficamos hospedados bem próximo da praça Syntagma, principal praça de Atenas que além de ser ponto turístico da cidade, é palco de muitas manifestações populares por estar localizada em frente ao Parlamento, sede do Poder Legislativo da Grécia. 
E é em frente ao Parlamento Grego que ocorre de hora em hora a coreografada troca da guarda. Tivemos a oportunidade de assistir algumas vezes essa cerimônia bastante curiosa, que leva em média uns 7-10 minutos, mas abaixo segue uma pequena amostra num vídeo que fiz...

video

Vitor posando ao lado de um guarda grego

Os gregos são um povo bonito e assim como os brasileiros, gentis e hospitaleiros.
O ápice da nossa viagem à Atenas foi conhecer a famosa acrópole de Atenas, a mais famosa do mundo. A palavra “Acrópole” quer dizer “cidades altas", construídas no ponto mais elevado das cidades. A de  Atenas foi construída por volta de 450 a.C. sob a administração do célebre estadista Péricles, que coordenou a construção de um dos mais importantes edifícios. Foi dedicada a Atena, deusa padroeira da cidade. 

A vista de lá é linda, uma das mais incríveis que já vi...
Lá em cima fica o famoso  Partenon ou Partenão, que foi um templo dedicado à deusa grega Atena, construído no século V a.C., por iniciativa de Péricles, governante da cidade, projetado pelos arquitetos Calícrates e Ictinos e decorado em sua maior parte pela oficina do escultor Fídias.É o mais conhecido dos edifícios remanescentes da Grécia Antiga e foi ornado com o melhor da arquitetura grega, sendo um símbolo duradouro da Grécia e da democracia, sendo visto como um dos maiores  da história da humanidade.

Vitor em Acrópole, Atenas, Grécia

Também visitamos o areópago (Colina de Ares), localizado na parte nordeste da Acrópole. Nesse local se reunia o conselho de filósofos, que discutia assuntos como educação e ciência. Por volta do ano 50 da era cristã o apóstolo Paulo esteve ali e discutiu com filósofos epicureus e estoicos e esse fato está descrito na Bíblia, em Atos 17.




Nessa época Atenas era o centro da divagação da sabedoria humana e fervilhava com mestres e sábios de todas as correntes e tendências. “Os gregos buscam sabedoria”, escreveu Paulo em I Coríntios 1:22.
Esses importantes filósofos levaram o apóstolo Paulo ao Areópago para que lhes contassem a respeito das boas novas do Evangelho de um Deus Criador, Soberano, Eterno e Onipotente, revelado em seu Filho Jesus Cristo, que morreu e ressuscitou.

Foi emocionante visitar este lugar e saber que o apóstolo Paulo esteve ali e semeou o cristianismo entre os gregos. Paulo conhecia os argumentos dos filósofos gregos, sabia o que eles gostavam de ouvir. Tinha condições de discutir qualquer assunto com eles em pé de igualdade. Paulo era preparado, poliglota, cidadão romano, viajado e talentoso.




Abaixo, a descrição bíblica de Paulo pregando no Areópago de Atenas. Atos 17: 18 a 34
" E alguns dos filósofos epicureus e estóicos contendiam com ele; e uns diziam: Que quer dizer este paroleiro? E outros: Parece que é pregador de deuses estranhos; porque lhes anunciava a Jesus e a ressurreição.
19 E tomando-o, o levaram ao Areópago, dizendo: Poderemos nós saber que nova doutrina é essa de que falas?
20 Pois coisas estranhas nos trazes aos ouvidos; queremos pois saber o que vem a ser isto
21 (Pois todos os atenienses e estrangeiros residentes, de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir alguma novidade).
22 E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos;
23 Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio.
24 O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;
25 Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;
26 E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação;
27 Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós;
28 Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
29 Sendo nós, pois, geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.
30 Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;
31 Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.
32 E, como ouviram falar da ressurreição dos mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez.
33 E assim Paulo saiu do meio deles.34 Todavia, chegando alguns homens a ele, creram; entre os quais foi Dionísio, areopagita, uma mulher por nome Dâmaris, e com eles outros."

video

rua nas imediações de Acrópole leva o nome do apóstolo Paulo

Momento incrível também quando visitamos o estádio Panatenaico, que é um estádio de atletismo situado em Atenas, construído inteiramente em mármore branco do Monte Pantélico, sendo um dos estádios mais antigos do mundo.
Construído no ano 566 a.c., foi utilizado para alojar a parte atlética dos Jogos das Panateneias, em homenagem à deusa grega Atena. Foi reconstruído em mármore, por Arconte Licurgo, no ano 329 a.C. e  ampliado e renovado por Herodes Ático, no ano 140 d.C., com uma capacidade de 50.000 assentos. Em 1895 foi novamente renovado para os Jogos Olímpicos de 1896. Em 2004 os Jogos Olímpicos foram novamente sediados na cidade de Atenas e o Estádio Panatenaico hospedou as competições de tiro com arco e a chegada da maratona masculina e feminina.
Outro passeio que realizamos foi pegar o metrô linha 1 verde e descer na estação Piraeus, final da linha.




Fomos lá conhecer o porto de Pireu, atualmente o principal porto da Grécia, que já existe desde o século VII antes de Cristo. De lá partem embarcações para as famosas ilhas gregas, que um dia ainda pretendemos conhecer.

Vitor no mar Mediterrâneo


Passeamos pela orla do mar mediterrâneo e depois pegamos um trem de superfície sobre trilhos que leva para vários pontos da cidade.

estádio de um time de futebol de Atenas
Após dias incríveis em Atenas, tivemos que retornar à Roma, para de lá, após trocar de aeroporto, embarcarmos de volta ao Brasil. Os horários eram meio justos, mas deu tudo certo, sem sustos.
Viajar e conhecer lugares novos é maravilhoso e não precisa muito dinheiro para isso. Nossas viagens são o mais econômico possível, pois compramos passagens em promoção e nos hospedamos em locais modestos. As experiências e recordações são indescritíveis e ficarão para sempre em nossa memória e coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog